Como as notificações do celular mexem com a nossa saúde mental?


Quem nunca se sentiu mais ansioso ao perceber novas mensagens no WhatsApp ou ao receber notificações do Instagram e do Facebook? Há muito tempo se fala sobre os impactos da tecnologia e das notificações na nossa saúde mental.


Em um depoimento publicado na matéria "Estresse e notificações: como deixar de ser refém do celular", da revista Marie Claire, Debora Souza, mestre em psicologia clínica e pesquisadora da PUC-SP, explica um pouco do fenômeno. "O sonho de séculos atrás, de estarmos disponíveis em vários locais ao mesmo tempo e de termos, de imediato, respostas sobre todas as nossas dúvidas num simples toque, nos fizeram criar um universo de interrelações para as quais a nossa biologia e a nossa vida psíquica ainda não estão totalmente preparadas", revela.


Segundo a mesma matéria, um estudo conduzido pela Universidade Carnegie Mellon, dos Estados Unidos, em parceria com a Telefónica, comprovou o efeito contraproducente que as redes sociais têm em nossa vida. Na pesquisa, um grupo de pessoas passou 24 horas sem notificações no celular, e isso fez com que os integrantes se sentissem menos distraídos e mais produtivos.


Para Debora, o efeito das notificações se relacionam com o funcionamento químico do nosso organismo. Elas são uma espécie de "sinal de alerta" e, assim, sentimos que precisamos reagir, como um instinto de defesa. "O que acontece com toda esta conectividade tecnológica é que nos mantemos em alerta a todo momento. Esperando a última mensagem ainda não lida, as curtidas que poderão afetar nossa autoestima e toda uma gama de exigências que vêm sendo impostas e até autoimpostas e sobre as quais devemos e podemos refletir", afirma a pesquisadora.

Entre as dicas que podem diminuir o estresse e a ansiedade causados pelos avisos diários e que aparecem quase que a cada minuto na tela, estão:


  • Organizar a rotina e determinar horas para se dedicar a responder mensagens ou reagir às notificações.

  • Buscar atividades paralelas, como um hobbie ou um esporte, que não envolvam o celular para equilibrar o dia a dia.

  • Impor limites, em especial quando as notificações se referem ao trabalho. Se você recebe mensagens corporativas, por exemplo, responda em horário corporativo – não aos fins de semana ou tarde da noite.


E por aí, você consegue identificar as sensações que têm ao visualizar as notificações? Tem dicas de como lidar com isso? Compartilhe conosco nos comentários!


Gostou do conteúdo e quer ficar por dentro desse e de outros temas relacionados à saúde mental? Acompanhe a iestro nas redes sociais: LinkedIn | Instagram.


0 visualização0 comentário